quarta-feira, 30 de maio de 2018

Divulgue o Espiritismo


Minha vida na outra vida (filme)


Coerência e Firmeza

Comporta-te com a mesma firmeza e dignidade, quando a sós ou na multidão, no lar ou fora dele. 
 O homem de bem é sempre o mesmo, não possuindo duas faces morais. 
 Trabalhando-te interiormente, fixarás os ideais de enobrecimento nos atos, que se exteriorizarão, sempre iguais, nas mais variadas situações. 
 O homem consciente das suas responsabilidades tem uma só conduta, seja na vida privada ou na pública, caracterizando-se pela retidão, que lhe expressa a grandeza do ideal esposado. 
 Se adquires o hábito da dissimulação, em breve derraparás na hipocrisia e na pusilanimidade. Exercitando-te na concentração dos pensamentos superiores, eles fluirão pelos teus atos no lar, no serviço e nas horas de recreio. 
 O lar é a sociedade miniaturizada nas fronteiras domésticas. Aí se forjam os valores indispensáveis para o crescimento intelecto-moral do indivíduo, preparando-o para o mundo. Sê refratário à lisonja. Prefere uma verdade ácida a uma mentira adocicada. 
 O lisonjeador é desonesto com aquele a quem elogia. Interrompe-lhe a insinuação perturbadora, que te atribui valores que não possuis. Sê, então, coerente, em todos os atos, não amparando o vício, nem passando recibo em favor da fraude, das posturas reprocháveis. Talvez não mudes o mundo. Se, no entanto, te tornares melhor, o mundo se terá renovado com disposições superiores para o fanal da fraternidade e da paz.

 Espírito: JOANNA DE ÂNGELIS 
Psicografia: Divaldo Pereira Franco

A mudança é de dentro pra fora (palestra)


Comemorando 16 anos de casada!




domingo, 1 de abril de 2018

Orai e Vigiai


Acreditar e Agir (reflexão)


Jesus veio

Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens.
Paulo. (FILIPENSES, 2: 7.) 

Muitos discípulos falam de extremas dificuldades por estabelecer boas obras nos serviços de confraternização evangélica, alegando o estado infeliz de ignorância em que se compraz imensa percentagem de criaturas da Terra. Entretanto, tais reclamações não são justas. Para executar sua divina missão de amor, Jesus não contou com a colaboração imediata de Espíritos aperfeiçoados e compreensivos e, sim, "aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens". Não podíamos ir ter com o Salvador, em sua posição sublime; todavia, o Mestre veio até nós, apagando temporariamente a sua auréola de luz, de maneira a beneficiar-nos sem traços de sensacionalismo. O exemplo de Jesus, nesse particular, representa lição demasiado profunda. Ninguém alegue conquistas intelectuais ou sentimentais como razão para desentendimento com os irmãos da Terra. Homem algum dos que passaram pelo orbe alcançou as culminâncias do Cristo. No entanto, vemo-lo à mesa dos pecadores, dirigindo-se fraternalmente a meretrizes, ministrando seu derradeiro testemunho entre ladrões. 
Se teu próximo não pode alçar-se ao plano espiritual em que te encontras, podes ir ao encontro dele, para o bom serviço da fraternidade e da iluminação, sem aparatos que lhe ofendam a inferioridade. Recorda a demonstração do Mestre Divino. Para vir a nós, aniquilou a si próprio, ingressando no mundo como filho sem berço e ausentando-se do trabalho glorioso, como servo crucificado. 

Pelo Espírito EMMANUEL 
Psicografia Francisco Cândido Xavier

Tudo que não é eterno...


Porque eu não consigo mudar (palestra)